3 de fev de 2010

A patética cena do pós beijo

Ou
Um trio que se faz de dois

A desgraça que você fala se cala pelo seu caráter.
Muito mais que amor a irrelevância se comunica com outros umbigos. Além do seu, é claro.
Eu minto pelo fato de você acreditar, é assim que a vida me julga... pelas verdades que tu condena e pelas injúrias que me escapam.

É assim que se resolve um amor, meu amor...
Foi assim...com as vergonhas a mostra que se volta a porta dos dizeres quaisquer.

Encho a mala de orgulhos, de indignações e tudo mais que você cuspiu nas quatro paredes do banheiro escuro.
Luz, sombra e tudo mais que você pintava no rosto subjulgava os interesses meus.

Você bradou pelo fim chorando pelo aconchego de uma abandonada pelos seus.
Mas eu falo internamente...
Pois as tuas tentativas de repúdio abrangem um discurso estúpido de se auto anular – e eu sigo amando pateticamente.
Mesmo assim Vai...

 

“Vai, vai mesmo...”

 

Por Guilherme Cruz


Share/Bookmark

4 comentários:

Adriana Gehlen disse...

que maravilha!

'vai, vai mesmo...'

Amanda SchArr disse...

Vou sim. Fui.
Fui ofendidada, mas tou no lucro.
Mui bueno, Seu Cruz.

carlos potiguar disse...

Olá Guilherme, bela voz dessa cantora, Amanda Prates. Boa mesmo. Abraço.

Programa CulturAção disse...

Eaí Carlos. Lindo mesmo. Ainda mais cantando Ataulfo.
abraços!