3 de out de 2009

O COMEÇO DO FIM









.

Esse é o fim!
Para alguns pode parecer o início, mas é o fim.
Meu amigo, encare isso como o fim - por favor.

A inversão que aqui acontece passa pela criação, e por conseqüência, a viabilização disso (disso = blog).
Numa dessas insônias invernais que o mês me impõe estava na rotina de buscar coisas diferentes, fuçar nas entranhas da internet, verificar novos blogs inteligentes, algo que pudesse me confortar, alimentar a minha alma, e que me desse sono.
Na viagem que me propus bati na porta de um blog que fechava a sua porta, o autor começava com “Não vou mais escrever aqui”. E assim ele relatou suas vontades, aspirações, conquistas que tal blog tinha lhe dado....E o ponto final estava dado.

Nunca quis montar um blog, ultimamente é um aparato que qualquer um monta e sai mandando bala. Algo que nunca chamou a minha atenção, até porque não tenho tanta bala assim pra “desperdiçar”.
Acho que também a liberdade demasiada encontrada na internet me assusta, e me deixa sem ação em alguns casos. É difícil se adaptar em algo que tu pode fingir, mentir, contestar, sem meter a cara! E por aí tá cheio de não-adaptáveis. Adaptação que começa a partir da decisão de escrever por algo que tu foca nos comentários de amigos, e de alguns caras com insônia.

Alguns seres (humanos,talvez) querem escrever algo sério e surpreendente e parecem escolherem o blog como papel-teste. Lugar onde tu pode escrever merda a vontade, sem se arrepender. (tá, tá...se arrepende sim.)
Vou ter que aprender a levar algo sério primeiramente, antes de encarar esse novo espaço.

O início tem que ser esperançoso, incrível, sagaz...ou isso tudo para chamar atenção do leitor e assim segurá-lo para todo o sempre.

Aqui o início tem feições tristes e de desesperança, tentando se encontrar com algo natural e mais tocante no virtual. Expor sentimentos para alguém, além das paredes do meu apartamento e assim conseguir uma resposta.

Esse é o fim.
Como aquele blog eu sei o início e o fim dessa desventura. Anotações de muitas coisas, dizendo tudo de quase nada, e fortificando o lixo digital.
E sempre com um pretexto melhor para escrever, ler, editar, modificar, deletar.
Assim inicio, pelo fim.
Pela idéia de ser mais de um, pela vontade de montar algo e não se apegar aumentando o índice de blogs abandonados, e criticando o eufemismo lúcido.

Assim seja.
Comecei pelo ponto final, e termino com ponto e vírgula para dar espaço para o que há de vir

;



Por Guilherme Cruz


Share/Bookmark

4 comentários:

Fabi disse...

Gosto de ponto e vírgula e espero que esse "início, pelo fim" traga todos os escritos dessa desventura.

Ouquéi, agora eu preciso dizer que esse "insólito trio de três por um triz" é meu preferido.

E que esse é o primeiro comentário. Rá!

Simone Castro disse...

Como pode uma pessoa acumular tanto talento, Guilherme? Saudades! Bjos!!!

Anônimo disse...

Aiii que bom!!!

robertososo disse...

Masá, eu sempre tive certeza q esse guri era bom. inteligente blog. parabens!!!